E ai, regulariza nossa profissão ou não ?


Essa discussão ainda esta gerando muito bafafá entre as listas de emails. Na lista java-br mesmo surgiu (novamente) o tema. Confesso que fico preocupado mais em ver as esperanças de um mundo melhor na área tecnológica brasileira do que com a lei em si.

Minha idéia sobre esse assunto é a mesma que alguns sobre certificação: será mais um papel que funciona como uma linha imaginária para ficar prendendo a atenção de pessoas que ainda lutam por algum reconhecimento no mercado. Não que todos que tenham ou almejam ter uma certificação (seja na área que for) são profissionais ruins, mas os realmente bons sabem que possuem experiência o suficiente para mostrar suas capacidades sem depender dos canudos.

Acho utopia a idéia de que com a regulamentação teremos melhores profissionais pelos simples fato deles ter uma faculdade concluída e pertencerem a algum sindicato. Não só pela fraca qualidade da “maioria das faculdades da maioria das pessoas”, mas pela mentalidade de que um rolo de papel vai ser o Messias para essa bagunça.

É óbvio que com a regulamentação, os profissionais terão mais burocracia e taxas pra pagar. Mesmo que seja montado um sindicato que faça alguma coisa, ainda sim a mentalidade em muitos será “preciso conseguir a matrícula no sindicato X” com a idéia de que isso os tornou grandes profissionais.

Com a deficiência que a empresas tem de mão de obra qualificada, o mercado ainda continuará incluindo péssimos profissionais em detrimento dos bons profissionais. E essa idéia de que o governo irá fiscalizar as contratações feitas pelas empresas permitindo somente a entrada de profissionais regularizados pode até funcionar nas grandes empresas, mas nas pequenas e médias ainda sim os geeks “desregularizados” estarão lá, mesmo com a carteira de trabalho assinada como “ajudante-geral-de-serviços-de-informática” (enquanto na verdade ele estará resolvendo problemas de escalabidade no principal sistema da empresa). Infelizmente a realidade é assim

Os bons profissionais sempre terão boas oportunidades, com regularização ou não. Sei que é chato pensarmos em pagar alguma coisa a algum órgão para ele simplesmente dizer que você sabe o que sabe, mas o mercado brasileiro gosta disso. Para reafirmar isso me aproprio de um pequeno trecho escrito pelo Vinícius Teles da Improve It:

Do ponto de vista comercial, aqui no Brasil, a certificação é uma jogada de mestre. As pessoas buscam, cada vez mais, todo tipo de selinho que puderem encontrar no mercado para colocar em seus currículos. É uma cultura insana, mas absolutamente pervasiva. Vai de pessoas a empresas.

Fonte: http://blog.improveit.com.br/articles/2007/12/19/novos-rumos-em-2008

O Vinícius resumiu tudo: certificação é uma jogada de mestre. E assim como certificação o é, será também a carteirinha do sindicato. E você possivelmente verá bons profissionais ignorando completamente a regulamentação, bons profissionais se regularizando pra continuarem empregados e profissionais com qualidades questionáveis colocando a carteirinha em uma moldura na parede do quarto.

  • Cleiver

    Caraca mané! Tava lembrando disso ai esses dias, nunca mais li nada a respeito (pelo visto preciso voltar a frequentar listas de emails).

  • Anderson

    verdade formar em uma faculdade e ter um canudo na nossa area não significa nada , é apenas uma estrelinha que o cara cola na testa …
    eu conheço particulamente alguns analista e programadores muito boms que soh tem 2º grau no curriculo e conheço universitarios que tem o diabo a quatro no curriculo e são profissionais ruins.